• VetJr. UFMG

Escore de Condição Corporal de Grandes Animais

Atualizado: Mar 22





O escore de condição corporal (ECC) é uma medida utilizada para determinação da condição nutricional dos animais, com base em informações visuais e táteis, que gera uma classificação com base na massa de gordura e cobertura muscular do animal em questão, sendo uma medida subjetiva. Tal avaliação traz consigo um reflexo das reservas energéticas e é importante para guiar alguns manejos no rebanho.


O conhecimento do escore corporal é utilizado para guiar as decisões referentes ao manejo nutricional dos animais, de forma a tornar o sistema mais lucrativo e benéfico, além de ter impactos em outros fatores como a reprodução dos animais. Essa medição é muito comum na bovinocultura e também é utilizada para equinos, sendo que cada grupo tem suas particularidades.


No caso de bovinos, atualmente a escala mais utilizada é a que varia de 1 a 5 (EDMONSON et al., 1989), sendo 1 para a vaca extremamente magra e 5 para a vaca extremamente gorda. Essa escala também pode ser dividida em 0,50 ou 0,25 pontos.

  • ES = 1: condicionamento reduzido grave. Apófises espinhosas e transversais proeminentes, nenhuma camada de gordura, cavidade profunda em volta da base da cauda, depressão profunda no lombo;

  • ES = 2: esqueleto evidente. Apófises espinhosas e transversais proeminentes porém macias, fina camada de gordura, pequena cavidade em volta da base da cauda com uma fina camada de tecido adiposo;

  • ES = 3 moderado, esqueleto e cobertura bem equilibrada. Apófises espinhosas e transversais arredondadas, desenvolvimento muscular completo, nenhuma cavidade em volta da base da cauda, pequena depressão na área do lombo;

  • ES = 4: esqueleto não tão visível como a cobertura. Apófises espinhosas evidentes apenas como uma linha, camada de gordura considerável, porém firme, apófises transversais não podem ser sentidas, base da cauda arredondada com gordura, nenhuma depressão na área do lombo;

  • ES = 5: condicionamento excessivo grave. Apófises espinhosas e transversais não detectáveis, camada de gordura densa e macia, base da cauda enterrada, sob grossa camada de tecido adiposo.

Fonte: Certified Humane Basil.


Além disso, também é importante considerar a faixa etária que o animal se encontra para avaliação do ECC ideal:

  • Novilhas em crescimento: 2,75 – 3,25

  • Vacas secas e novilhas no parto: 3,25 – 3,75

  • Início da lactação (1-120 dias): 2,5 – 3,25

  • Meio da lactação (120-304 dias): 2,75 – 3,25

  • Fim da lactação (305+ dias): 3,0 – 3,5


Fonte: EducaPoint.


No caso de equinos, essa estimação, além da informação nutricional, também é utilizada para planejamento de programas reprodutivos, prevenção de doenças metabólicas e monitoramento de carga de trabalho. No sistema de avaliação proposto por Carrol & Huntington (1988) consiste em uma classificação de 0 a 5, podendo se dividir em 0,5 pontos quando a garupa apresentar características de pontuação diferente daquela em que o pescoço e o tronco se enquadram. A classificação é feita com base na avaliação visual e palpação do acúmulo de gordura no pescoço, tronco (dorso lombo e costelas) e garupa.

Fonte: ABCCMM, 2017.


Portanto, a avaliação do ECC nos fornece informações essenciais para a criação e pode guiar diversas decisões que podem contribuir positivamente para o sistema. Assim, a VetJr. auxilia o produtor na avaliação da condição do rebanho e na adoção de estratégias voltadas para o fornecimento de condições adequadas para os animais e para o sistema produtivo.


Escrito por: Júlia Freitas


Entre em contato conosco:

bovinocultura@vetjr.com

Celular VetJr.: 31 98292 7161


75 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo