• VetJr. UFMG

Adotei um cão filhote, e agora?

Dicas e informações importantes para que o tutor saiba os próximos passos a serem dados

A chegada de um novo membro de quatro patas na família é repleta de muita alegria e empolgação, entretanto sabemos que esse momento também gera muitas dúvidas em relação aos próximos passos que devem ser tomados. Adotar um cachorro requer responsabilidades e, de certa forma, altera a rotina da casa – pelo menos nos primeiros dias de adaptação, mas a equipe de pequenos animais da VetJr. separou algumas dicas valiosas para te auxiliar nesse processo e esclarecer suas dúvidas ao longo deste texto.


Em primeiro lugar, é importante preparar o ambiente para receber seu novo amigo, dessa forma, escolha um local seguro e confortável para que ele possa se instalar. Os filhotes são muito curiosos, portanto, para evitar acidentes, é muito importante que eles não tenham acesso à janelas, fios, plantas e produtos de limpeza.


Durante as primeiras noites é comum que o filhote chore, pois ainda não está adaptado à sua nova família. Essa situação exige que o tutor tenha paciência com o novo membro e, para tentar minimizar esse comportamento – que muitas vezes pode gerar preocupação –, você pode, em primeiro lugar, brincar com o cãozinho para que ele gaste energia e pegue no sono mais facilmente. Outra estratégia é oferecer uma acomodação confortável e com uma peça de roupa do novo dono para que ele possa sentir um cheiro familiar.


Em relação à alimentação, a ração oferecida deve ser de qualidade e exclusiva para filhotes até aproximadamente a idade de 14 meses do seu amigo. A princípio a ração deve ser a mesma anteriormente fornecida no canil ou na ONG, porém, caso você queira trocar, a introdução deve ser feita de forma gradual durante uma semana: no primeiro e segundo dia na proporção de 75% da ração antiga e 25% da nova, no terceiro e no quarto dia 50% da ração antiga e 50% da nova, no quinto e no sexto a proporção dos primeiros dias se inverte, ou seja, 75% da ração nova e 25% da ração antiga e, por fim, no sétimo dia, a nova ração pode ser oferecida integralmente). A quantidade oferecida deve seguir a orientação do rótulo e pode ser dividida em três porções ao longo do dia.


Outro tema que gera muitas dúvidas nos tutores é sobre a vacinação, que tem como objetivo proteger o filhote de enfermidades. As duas de caráter obrigatório são a polivalente e a antirrábica, sendo a primeira aplicada em três doses a partir de 45 dias de vida do animal e a segunda aos quatro meses de idade. As demais vacinas serão recomendadas pelo veterinário responsável a depender da incidência de determinadas doenças em cada região.


Por fim, em relação aos primeiros banhos e passeios, é recomendado que eles só aconteçam após o pet completar o protocolo vacinal obrigatório. É muito importante também que o seu filhote tenha acompanhamento de um veterinário de confiança para que eventuais questionamentos, sobretudo a respeito de medicamentos, como por exemplo vermífugos e antiparasitários, sejam esclarecidos.


Para auxiliar criadores e ONGs que possuam dúvidas a respeito do manejo de filhotes, a VetJr. oferece o serviço de desenvolvimento da Cartilha do Filhote. Sabemos que, muitas vezes, os primeiros dias do cãozinho em um local diferente e com outras pessoas podem ser difíceis para ele e para a família. Assim, a cartilha visa facilitar os primeiros passos no cuidado do filhote, além de conter informações veterinárias úteis por toda vida.


Escrito por: Ana Clara Minardi

Entre em contato conosco: Email: pequenosanimais@vetjr.com Celular VetJr.: 31 9 8292-7161

37 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo