• VetJr. UFMG

Protocolo Vacinal de Equinos

Atualizado: 11 de jul.

Os equídeos, em especial cavalos, são animais que têm chamado cada vez mais a atenção dos brasileiros, seja pela beleza, inteligência, força ou utilidade desta espécie, é inegável que hoje eles são alvo de cuidados que antigamente eram lhes negados. Por isso, para garantir uma vida longa e livre de doenças, o protocolo vacinal é de suma importância. Porém, é preciso salientar que os médicos veterinários devem ser acionados para fazer um protocolo de vacinas para equinos mais personalizado de acordo com cada animal e local que o cavalo está. No entanto, é interessante e importante o criador de equinos saber quais vacinas são necessárias, de acordo sua situação.


As principais vacinas são: raiva, tétano, encefalomielite, influenza, rinopneumonite, leptospirose e, em alguns casos, contra garrotilho (adenite equina). É importante ressaltar que algumas são obrigatórias.

São dadas da seguinte forma:

  • Raiva

  • 1° dose com 4 meses de idade;

  • 2° dose 30 dias depois da 1° dose;

  • Reforço anual;

  • Subcutânea ou intramuscular (ler a bula);

  • Tétano e Encefalomielite

  • A vacina de tétano não é obrigatória, mas é extremamente indicada pois a doença é comum e muitas vezes é fatal. Já a de encefalomielite, é obrigatória para transporte e em alguns estabelecimentos equestres;

  • 1° dose a partir dos 3 meses de idade,

  • 2° e 3° dose com intervalos de 30 dias;

  • Reforço anual;

  • Intramuscular.

  • Influenza

  • 1° dose a partir dos 3 meses de idade;

  • 2° e 3° dose com intervalos de 30 dias;

  • Reforço semestral ou anual (consulte o Médico Veterinário);

  • Intramuscular.

  • Rinopneumonite

  • Em alguns estabelecimentos é obrigatória, porém de grande importância devido a alta disseminação do Herpesvírus Equino;

  • 1° dose na desmama, 2° dose 3 a 4 semanas depois. 3° dose 6 meses após a segunda;

  • Fêmeas gestantes no 5°, 7° e 9° mês;

  • Reforço semestral ou anual (consulte o Médico Veterinário).

  • Leptospirose

  • 1° dose a partir de 4 meses;

  • Reforço 30 dias depois;

  • Semestral;

  • Intramuscular.

  • Garrotilho

  • Em potros a partir de 4 meses;

  • Semestral;

  • Intramuscular ou subcutânea (ler a bula).


Algumas informações importantes:

  • Animais que nunca foram vacinados ou perderam o prazo da dose de reforço, devem vacinar como primovacinação, isto é, reiniciar o protocolo vacinal para aquela vacina;

  • Em alguns estados endêmicos para raiva, o reforço é semestral, não anual;

  • Após ter seguido o esquema vacinal inicial para potros, é ideal reforçar a vacinação a partir dos 12 meses de idade.

É interessante lembrar ao proprietário que existem vacinas multivalentes (que possuem ação contra mais de uma doença ao mesmo tempo). Costumam ser mais baratas, além da praticidade de prevenir o animal de várias doenças sem precisar de várias injeções de diferentes marcas contra as diversas enfermidades.


Neste contexto, a VetJr. pode te auxiliar na criação de um manejo sanitário adequado, aliado a um bom protocolo vacinal, visando a saúde dos animais.


Texto escrito por: Luany Miranda


Entre em contato conosco:

Email: bovinocultura@vetjr.com

Celular VetJr.: 31 9 8292-7161

1.271 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo