• VetJr. UFMG

otimização da conversão alimentar do frango de corte

Atualizado: há 2 dias


A taxa de conversão alimentar é um parâmetro de grande importância econômica utilizada para medir a eficiência da conversão do consumo da ração para o peso vivo do lote, por meio dos indicadores de desempenho e do lucro, isso porque cerca de 70% dos custos da produção de frangos de corte são convertidos em ração. A taxa de conversão na granja é calculada com base no consumo total de ração do lote dividido pelo peso vivo medido na unidade de abate. Posto isso, o produtor e sua equipe devem se atentar para a precisão dos dados coletados a fim de evitar uma superestimativa ou subestimativa. Alguns fatores como a imprecisão da balança usada no momento do abate, erros de cálculo de consumo de ração, registros errados, mudança sazonal de matéria-prima, mudança de manejo das aves e cargas alteradas podem contribuir para possíveis erros. É importante que todos esses fatores sejam identificados, para que, se ocorrer algum problema, que seja possível saber exatamente o que o causou. Para otimizar e garantir boa conversão é necessário o bom manejo de todos os fatores envolvidos desde a cria até a terminação, dentre esses fatores estão: manejos de temperatura, ventilação, qualidade da ração, qualidade da água, refugos, doenças e medicações, tempo de consumo, luz, comportamento, manejos sanitários como vacinação, manuseio de aves, desinfecção, biossegurança e controle de doenças. A temperatura é o fator com maior influência na conversão alimentar. As aves são homeotérmicas e dependem da temperatura do ambiente para manter a temperatura corporal. No ambiente frio, elas tendem a consumir mais para ter calorias necessárias para a manutenção da temperatura corporal. Já em altas temperaturas, os frangos consomem menos ração e perdem eficiência na conversão alimentar. Nesse contexto, a ventilação e a temperatura estão inversamente proporcionais. A manutenção da qualidade da ração obtida é um ponto de grande importância nas propriedades, pois o produtor tem grande influência sobre o seu armazenamento, devendo realizá-lo corretamente para que não seja contaminada, nem oxidada, não alterando sua composição. O espaço do comedouro contribui para a ingestão individual de ração e é importante que cada ave tenha espaço suficiente e confortável para comer. A manutenção da qualidade da água tem a mesma importância, pois o desempenho geral da ave depende dela. Nesse sentido, deve-se evitar contaminação da água, pois microorganismos podem alterar a absorção e a conversão dos alimentos, causar diarréia e outras doenças secundárias.


É importante se atentar também para as aves refugas, ou seja, aves que nascem com peso muito alterado, pois a ração é muito desperdiçada por aves doentes ou deficientes, além de serem vetores de doenças. Dessa forma é recomendado que aves que não têm um bom desenvolvimento sejam eliminadas.


O tempo de consumo é outro fator importante. As pintainhas precisam de estímulos para se alimentar, desse modo o lote irá ter um bom ganho de peso desde o início.

A luz também influencia na ingestão de alimentos, já que as aves jovens necessitam de mais horas de luz até 21 dias devido ao hábito de dormir em tempo integral no ambiente escuro. Após esse período, a luz pode ser gradualmente reduzida.


O manejo geral contribui para uma boa resposta de comportamento, sendo que o ambiente agradável e sem estresse têm influência direta para um bom rendimento das aves. Dessa maneira, o manejo sanitário, controle de roedores, vazios sanitários e vacinação contribuem para a sanidade, e conseqüentemente para uma melhor conversão alimentar.


Em suma, os problemas de taxa de conversão alimentar representam um desperdício, gerando um impacto econômico significativo para o produtor. Qualquer fator que reduza o consumo de ração, o crescimento ou prejudique a saúde do frango de corte impactará negativamente a taxa de conversão alimentar do lote. Para corrigir qualquer problema de taxa de conversão requer sabedoria, comunicação e análise de toda a unidade de produção, desde o fabricante da ração até o produtor e o consumidor.


Escrito por: Amanda Sousa


Entre em contato conosco:

Avicultura@vetjr.com

Celular VetJr.: 31 98292 7161

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo