• VetJr. UFMG

Manejo Sanitário na avicultura: saúde, qualidade, performance e bem-estar.


Um bom manejo sanitário é um dos princípios básicos para se ter sucesso na avicultura, tanto para grandes granjas quanto para pequenas produções. Esse conjunto de medidas preventivas têm como objetivo manter a saúde das aves e evitar a entrada de patógenos por meio de práticas de higiene e da adoção de normas de biosseguridade. Além de prevenir doenças fisiológicas, patogênicas e parasitárias, um manejo adequado favorece a performance, bem-estar das aves e assegura ao consumidor um produto de boa qualidade. Apesar de ser amplamente difundido em grandes granjas, muitos ainda não sabem que é mais rentável controlar as doenças no plantel antes que elas ocorram e isso pode ser feito com a higienização das instalações, controle de vetores de doenças e remoção de carcaças de aves mortas. Essas ações visam a diminuir os riscos de infecções e aumentar o controle sanitário do plantel, resguardando a saúde do consumidor.


Com base nisso, um manejo sanitário deve constar os seguintes pontos:


Assepsia de instalações e equipamentos e Biosseguridade


É de suma importância que haja biosseguridade do aviário, ou seja, limpeza e desinfecção das instalações e equipamentos utilizados na produção, visando minimizar a ocorrência de doenças na granja, ampliar a performance produtiva das aves, assim como a segurança dos produtos para a saúde do consumidor. Algumas práticas podem ser adotadas para fazer esse controle:

● Realizar limpeza diária dos comedouros e bebedouros.

● Controlar o fluxo de pessoas e equipamentos no interior da criação.

● Fazer o uso de calçados e vestuários limpos e que não foram usados em outros locais de criação.

● Utilizar o sistema de vazio sanitário, ou seja, na saída de um lote, deixar a instalação limpa e desinfetada sem animais por determinado período de tempo.

● Limpar as entradas de ar.

● Ao introduzir novas aves, separá-las das aves do plantel, com o objetivo de evitar a entrada de agentes patogênicos na granja.


Controle de doenças fisiológicas, patogênicas e parasitárias


O controle de doenças fisiológicas deve ser feito com o objetivo de evitar o estresse das aves. Para isso, é importante dar atenção à lotação adequada, o suprimento protéico e mineral de acordo com a exigência para cada fase de criação, ventilação das instalações, fornecimento de água e comida nas horas adequadas, além de agilizar o descarte rápido e adequado de aves mortas e remover periodicamente os excrementos. As doenças patogênicas são transmitidas por meio de vírus e bactérias. As principais doenças que ocorrem na região Meio-Norte do Brasil são a Bronquite infecciosa, Newcastle, Gumboro e Varíola aviária (Bouba). Com o objetivo de evitá-las, além da limpeza dos equipamentos e instalações, também deve ser estabelecida uma cobertura vacinal específica para cada situação, que deve ser elaborada pelo responsável veterinário. Ademais, deve-se também evitar a entrada de insetos, roedores e, principalmente, predadores.


Já com o foco em doenças parasitárias, além da limpeza de equipamentos e instalações deve-se, também, estabelecer um plano de controle de endo e ectoparasitas, que dependerá do monitoramento das condições das aves. Os "piolhos-de-galinha" são ectoparasitas, localizados na pele e penas das aves, os quais podem se alimentar de sangue e causar anemia, queda de desempenho e até a morte das galinhas. A transmissão pode ocorrer por aves silvestres e também pelo contato de galinhas já infectadas no plantel. Para evitar esses patógenos, é fundamental retirar ou trocar a cama de aviário e dos ninhos, limpar o local com desinfetante, cal e vassoura de fogo, impedir o acesso de aves silvestres ao aviário e fornecer ração balanceada às aves. Quanto aos endoparasitas, sendo os vírus, tênias, nematelmintos, além de diversas espécies de bactérias, o controle pode ser realizado a partir do uso de antiparasitários e vermífugos.


Bem-estar e produção de ovos


O conforto e bem-estar proporcionados pelo ambiente garantem animais saudáveis, vigorosos e resistentes a doenças. Uma recomendação importante é realizar o controle de temperatura nos galpões, uma vez que variações repentinas na temperatura causam estresse nas aves, o que impacta negativamente na sua imunidade, causando doenças e, consequentemente compromete sua performance produtiva. Além disso, a utilização de cama para o aviário (cobertura) é um bom promotor de bem-estar e auxilia no desempenho das aves. Entretanto, é importante que ela seja substituída periodicamente, principalmente na troca de lotes de aves, caso contrário, torna-se fonte de contaminação.


Já para a manipulação dos ovos, existem algumas medidas que devem ser tomadas, como realizar a higienização das mãos, coletar os ovos na maior frequência possível, utilizando bandejas laváveis que permitam a separação dos ovos, fazer a limpeza a seco dos ovos, organizar o ambiente de trabalho, por meio do armazenamento dos ovos e descarte de resíduos.


Portanto, a partir do apresentado, conclui-se que o manejo sanitário é um processo fundamental nas produções avícolas, visto que mantém a higiene do ambiente, evitando a entrada de patógenos. Nesse viés, a VetJr. oferece o serviço de manejo sanitário para a sua granja, auxiliando você produtor a melhorar a qualidade da sua produção.

Para mais informações, consulte nossa cartilha de serviços em avicultura ou entre em contato com a gente!



Escrito por: Lorena Gontijo e Patricia Holliday


Entre em contato conosco:

Email: avicultura@vetjr.com

Celular VetJr.: 31 9 8292-7161


152 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo