• VetJr. UFMG

Coturnicultura - pontos positivos da criação de codornas

A coturnicultura é um ramo crescente da avicultura focado inteiramente na criação de codornas, seja para fins comerciais de produção de ovos e carne, ou para consumo próprio. As codornas são pequenas aves que pertencem à família das Faisânidas, sendo consideradas galináceas. No Brasil, as espécies de codornas mais conhecidas são as Coturnix coturnix coturnix (codornas europeias ou selvagens) e as Coturnix Coturnix japonica (codornas japonesas ou domésticas). Há também as codornas americanas (Colinus Virginianus), sendo a mais conhecida a Bobwhite, além das chinesas (Coturnix adansonii) e das africanas (Coturnix delegorguei).

Essas pequenas aves têm um peso médio de 90 g, podendo variar de acordo com a espécie, e condições de criação do plantel. Em geral, o consumo médio de ração é de 25 a 30 g de ração por dia, e as linhagens de postura mais populares produzem cerca de 300 ovos por ano - o que equivale a 83% de postura por ciclo produtivo. Quanto à diferenciação sexual, é possível distinguir os machos das fêmeas pela conformação das penas peitorais, uma vez que o macho apresenta coloração relativamente uniforme, e a fêmea é ligeiramente branca, com pintas pretas no peito. Uma vantagem a se considerar na formação do plantel é que esta diferenciação pode ser observada após 14 dias de vida, quando as aves já apresentarem as penas do peito; o que possibilita a seleção de fêmeas para a postura. Outra característica de diferenciação é o peso maior das fêmeas em relação aos machos, isso ocorre devido ao elevado peso do aparelho reprodutivo das fêmeas, que nessas aves é muito desenvolvido, podendo representar 10% do seu peso vivo.


Atualmente a coturnicultura é uma atividade que apresenta grande crescimento no Brasil, pelo grau relativamente baixo de complexidade de criação e lida com o plantel, e características como o rápido crescimento das aves, a precocidade na produção e a maturidade sexual (35 a 42 dias de idade), exigência de pequenos espaços para grandes populações e baixo investimento - atrativos significativos para iniciar a criação de codornas. Outro ponto importante a se considerar é que a coturnicultura é uma opção interessante e principalmente no âmbito da agricultura familiar, pela produção de carne e os ovos de codorna (em conserva ou não), que se tornaram itens extremamente populares e consumidos nos restaurantes e o setor alimentício nos últimos anos.


Apesar do baixo grau de complexidade, é necessário atentar-se para as orientações veterinárias na criação de codornas, na construção de seus diversos manejos. A coturnicultura exige pouco espaço, mas que ele seja ventilado, com uma temperatura ideal para as aves (18 a 20 ºC) e com possibilidade de ser fechado em dias frios, com vento forte ou incidência de sol direto. Esses fatores são cruciais principalmente quando a produção é voltada para ovos, uma vez que o quesito temperatura torna-se preponderante, já que essas aves apresentam a particularidade de redução da fertilidade quando estão em ambientes de temperaturas elevadas, atingindo de maneira negativa na produção.


O auxílio de um profissional veterinário é outro fator imprescindível, pois auxilia no manejo sanitário, nutricional, e reprodutivo dos lotes - fatores muito relevantes na coturnicultura. Neste contexto, a VetJr. presta serviços de consultoria aos produtores, construindo protocolos de manejo sanitário, manejo nutricional para o estabelecimento de uma nutrição adequada para cada fase de vida, manejo reprodutivo de orientações quanto às instalações.

Consulte nossa cartilha de serviços em avicultura!


Escrito por: Cesar Lopes Horta


Entre em contato conosco:

Email: avicultura@vetjr.com

Celular VetJr.: 31 9 8292-7161

153 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo