• VetJr. UFMG

RELAÇÃO ENTRE NUTRIÇÃO E CARA INCHADA EQUINA


A Osteodistrofia Fibrosa, mais conhecida como doença da cara inchada equina,

possui relação direta com o manejo nutricional dos equinos. Trata-se de uma alteração metabólica onde o organismo retira o cálcio presente nos ossos e começa a transformar tecidos ósseos em tecidos fibrosos.

Por ser uma doença ligada ao sistema ósseo causa osteopenia, ou seja, provoca a redução da densidade mineral óssea. A reabsorção óssea ocorre devido a deficiência de cálcio (Ca), podendo ser resultante de uma deficiência primária ou secundária.


QUAIS SÃO AS POSSÍVEIS CAUSAS ?


Como citado anteriormente, a deficiência primária pode ser oriunda da baixa oferta de cálcio, o que diminui a relação Cálcio-Fósforo da corrente sanguínea, mobilizando então o cálcio presente nos ossos. No entanto, em casos onde há excesso de cálcio e oferta de alimentos ricos em fósforo, o organismo retira cálcio dos ossos para manter o equilíbrio de Cálcio-Fósforo no sangue. De forma secundária, a cara inchada pode ser decorrente de uma deficiência de vitamina D, esta que é essencial para a absorção de cálcio pelo organismo. Animais que são privados de receber irradiação UV e fêmeas no terço final da gestação e início da lactação são mais frequentemente afetados.

Além destes fatores, a predominância de forrageiras do gênero Brachiara spp. no Brasil aumenta as concentrações de ácido oxálico. Este que na presença de de íons cálcio formam oxalato de cálcio tornando o cálcio indisponível para absorção e causam desequilíbrio. Quando o cálcio é reduzido, o fósforo aumenta e causa uma hiperfosfatemia e para retornar o equilíbrio da relação Cálcio-Fósforo, o organismo libera paratormônio pelas glândulas paratireóides. Isto provocará a retirada de cálcio dos ossos, jogando-o para a corrente sanguínea. Os primeiros ossos a sofrerem remoção de cálcio são os ossos da face e esses são substituídos por tecidos mais aerados que dão o aspecto de “cara inchada”.

Ademais, outra causa desta doença se encontra no fornecimento de suplementos nutricionais bovinos para equinos, uma vez que as exigências nutricionais destes animais são distintas.


QUAIS OS SINTOMAS?


Quando o cálcio é retirado dos ossos, estes apresentam aspecto mole, podendo apresentar deformidades, fraqueza e aumento no tamanho. Estes sintomas predispõem o animal a redução do apetite, perda da dentição, emagrecimento e fraturas.


DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO


O diagnóstico deverá ser feito mediante a observação dos sinais clínicos e de análises a fim de chegar a causa primária da afecção. Para isto, deverá ser feita a análise de fosfatase alcalina e a concentração plasmática de paratormônio por meio de exames de sangue. Poderá ser feito o exame de raio-X para identificação de deficiência de cálcio e o exame de clearance pode indicar se há excesso de excreção de fósforo na urina. Já o tratamento depende da causa da doença. Em casos de excesso ou deficiência de cálcio, haverá uma adaptação no manejo alimentar destes animais.


Para evitar perdas e colocar a saúde dos animais em risco, é imprescindível que os equinos tenham uma alimentação balanceada. Portanto, a VetJr. presta serviços de consultoria veterinária aos produtores, auxiliando na construção de um manejo nutricional correto e na implementação de um manejo de pastagens adequado ao desenvolvimento de seus animais. Venha conhecer nossos serviços!


Escrito por: Stéphanie Cristine


Entre em contato conosco:

bovinocultura@vetjr.com

Celular VetJr: (31) 98292 7161



5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo