top of page
  • Foto do escritorVetJr. UFMG

Entendendo a Salmonela em aves silvestres

A saúde dos pássaros em criatórios pode ser comprometida por diversos fatores, dentre eles estão as doenças que podem se disseminar rapidamente entre os animais e merecem uma atenção redobrada do tutor. 

O gênero Salmonella compreende três espécies de bactérias gram-negativas: Salmonella subterranea, Salmonella bongori e Salmonella entérica, esta última abrangendo milhares de sorotipos distintos. Em aves, a Salmonella é parte da microbiota normal do intestino, desempenhando um papel essencial na digestão adequada dos alimentos. Portanto, é comum encontrar Salmonella nas fezes das aves. Além da Salmonella, diversas outras bactérias fazem parte da flora intestinal das aves e devem estar em equilíbrio, com suas populações controladas.

A salmonelose ocorre quando a população de Salmonella ultrapassa o limite tolerável pelo organismo da ave, rompendo esse equilíbrio. Além disso, a ave pode ser infectada por um sorotipo patogênico, o que resulta em doença.

Os sinais clínicos podem incluir diarreia, apatia, falta de apetite, penas eriçadas, sono excessivo durante o dia, problemas reprodutivos e perda de peso progressiva, podendo, em casos graves, levar à morte do animal. A presença de apenas alguns desses sintomas pode indicar o início da doença, e sua gravidade depende da quantidade de Salmonella na ave, assim como da espécie e do sorotipo envolvidos.

Nos filhotes, a progressão da doença é rápida, com um período de 2 a 4 dias, e pode resultar em uma alta taxa de mortalidade. Além de fraqueza e desenvolvimento inadequado, os filhotes geralmente apresentam fezes aquosas. Muitos pássaros são portadores assintomáticos de Salmonella, o que significa que não exibem sinais da doença, mas podem transmiti-la para os filhotes. Portanto, um indicador de infecção é a elevada taxa de mortalidade entre os filhotes no ovo ou nos primeiros dias de vida.

O tratamento da salmonelose, por se tratar de uma doença causada por bactérias, é feito principalmente pelo antibiótico, que somente pode ser prescrito por um médico veterinário, nas doses e formas de uso adequadas, a fim de prevenir possíveis resistências bacterianas e outros problemas com o medicamento. Além disso, também é importante manter a ave doente em local adequado e confortável e mantê-la bem alimentada e aquecida.

Apesar das medidas corretivas citadas acima, o mais eficiente tratamento para combater essa e outras doenças no seu criatório é o manejo sanitário. Este é um serviço de atividades regularmente realizadas que atende às normas de biossegurança específicas para o local em questão, a fim de, principalmente, evitar novos problemas. Ele atua na prevenção de novas doenças, reincidência de doenças anteriores, monitoramento da saúde dos animais, adequação das instalações em que ficam os indivíduos, entre outros. 

A salmonelose e outras várias doenças podem ser simplesmente evitadas com um manejo sanitário adequado e personalizado para o seu criatório. Se interessou e quer saber mais sobre esse serviço e sua importância para o seu estabelecimento? Entre em contato com a equipe VetJr. pelos nossos canais de atendimento! 


Escrito por: Mariana Almeida e Nicole Lavínia.


20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page