• VetJr. UFMG

Cronologia Dentária Equina: como avaliar a idade dos animais?


Uma das formas mais econômicas e simples de estimar a idade de um cavalo é através da sua avaliação de seus dentes. À medida que estes animais vão ficando mais velhos vão sofrendo diversas alterações e mudanças nos dentes, que permite a identificação da faixa etária em que o animal se encontra, o que permite, por exemplo, adequações em seu manejo. Para isso, é importante entender como funciona a formação do dente nos equinos.

Os cavalos possuem 6 dentes incisivos, 2 caninos, 6 pré-molares e 6 molares, tanto na parte superior quanto na inferior, totalizando em média 40 dentes, sendo que a avaliação da idade é realizada nos incisivos superiores e inferiores. O dente é formado por coroa (porção que se projeta para fora da gengiva ou alvéolo dentário), raíz (realiza a fixação do dente), colo (une a cora e a raiz), cavidade pulpar (contém vasos e nervos), ligamento periodontal (que liga o dente ao alvéolo dentário) esmalte (substância resistente e mais branca), dentina (semelhante ao osso, sendo a maior proporção do dente), cemento (recobrindo a raíz do dente) e infundíbulo (depressão na região da coroa). Além de serem difiodontes, ou seja, possuírem dentes temporários (dente de leite) e permanentes, os dentes dos equinos possuem um quadro de erupção contínua, ou seja, estão em constante crescimento. Sendo assim, eles sofrem trocas e desgastes que nos permitem identificar o estágio de vida do animal através de um padrão de desgaste formado.


Assim, alguns aspectos dos dentes precisam ser observados para identificação da idade, permitindo assim a formação de uma cronologia dentária dos animais, que é avaliada através do padrão e ordem de rasamento do dente (nível de desgaste sofrido pelo dente, fazendo com que a região do infundíbulo, que é uma espécie de buraco, fique mais rasa).


Fonte da imagem: Paulo, 2010.

  • Erupção da pinça (1º incisivo): 1 semana;

  • Erupção do médio (2º incisivo): 1 mês;

  • Erupção do canto (3º incisivo): 6 meses;

  • Com 1 ano ocorre início do rasamento, ou seja, desgaste dos dentes de leite, em que o infundíbulo da pinça fica menor que o médio e canto (indica maior desgaste).

  • 1,5 ano: desgaste de pinça e médio, que ficam mais desgastados que o canto.

  • 2 anos: rasamento de todos os incisivos (pinça, médio e canto);

  • 3 anos: início da troca dentária, ocorre surgimento de pinças definitivas;

  • 4 anos: erupção de médios definitivos;

  • 5 anos: saída de canto definitivo (apresentando o maior infundíbulo e indicando menor desgaste;

  • Entre 5 e 5,5 anos pode ocorrer o nascimento do canino em machos.

  • 6 anos: rasamento das pinças;

  • 7 anos: desgaste do infundíbulo dos médios e aparecimento de projeção do canto superior sobre o canto inferior, formando o gancho ou asa de andorinha;

  • 8 anos: rasamento do canto definitivo;

  • 9 a 11 anos: os dentes ficam mais arredondados e a arcada dentária superior se projeta para frente.

  • 12 a 14 anos: os dentes se apresentam mais triangulares.


A avaliação da idade auxilia na adequação do manejo e na identificação de situações como nascimento de dente canino (também chamado de dente de lobo) que pode ser muito incômodo para o animal. É importante ressaltar que se trata de uma avaliação subjetiva, que sofre interferência de diversos fatores como a dieta do animal, que afetam o desgaste e morfologia dos dentes dos animais. Para saber mais sobre o assunto, entre em contato conosco!


Escrito por: Júlia Freitas


Entre em contato conosco:

bovinocultura@vetjr.com


Celular VetJr.: 31 98292 7161


16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo