• VetJr. UFMG

você sabe quem são os ferrets?


Cientificamente conhecidos como Mustela putorius furo, os ferrets são carnívoros da família Mustelidae e tem origem europeia. Conforme relatos, esses animais foram domesticados há 2000 anos atrás, com o intuito de conterem a população de roedores e coelhos silvestres que se alimentavam de plantações locais da Europa, Austrália e Nova Zelândia. Os ferrets chegaram na América do Norte há cerca de 300 anos e, atualmente, ocupam o terceiro lugar na lista de pets mais desejados nos Estados Unidos.



No Brasil, os ferrets são considerados como animais exóticos e o início da sua importação consta desde meados da década de 1990. Nesse sentido, para serem importados, esses animais devem vir castrados, vacinados e devidamente tatuados, conforme os procedimentos que passaram, considerando a portaria número 93 de 7 de Julho de 1998 do IBAMA. A marcação ou tatuagem se dá da seguinte maneira: se o animal passou apenas pela cirurgia de esterilização é feito um ponto em sua orelha e se ele passou pela cirurgia de retirada das glândulas anais é feito outro ponto.


Os ferrets possuem corpo alongado, coluna flexível e diversas colorações de pelagem: albino, branco, champanhe, sable claro, sable escuro, sable point, sable red, sable blaze e silver, entre outras. A sua expectativa de vida, considerando a média dos animais que vivem no Brasil, varia de 8 à 14 anos, os machos pesam de 1 à 2 kg e as fêmeas de 0,5 à 0,9 kg. Na primavera a pelagem clareia e no outono escurece e o seu peso também varia conforme a estação do ano, no inverno costumam engordar e no verão emagrecer.


Esses animais têm hábitos predadores, principalmente no período noturno, mas a fêmea também pode caçar durante o dia, costumam dormir de 12 à 20 horas por dia e não gostam de ser acordados repentinamente, podendo apresentar resposta agressiva a esse tipo de despertar. Os animais mais velhos costumam demorar para acordar, mesmo quando são estimulados. Em vida livre vivem individualmente e são territorialistas, mas vivendo com os humanos são bem sociáveis e curiosos, tendo hábito de explorar os locais da casa e de furtar objetos e escondê-los.


Quando colocados em convivência com animais menores podem desenvolver o seu lado “predador” e machucar o outro companheiro, já com cães e gatos isso não é demonstrado. Em relação à convivência com a própria espécie, inicialmente podem haver disputas e brigas, mas quando uma hierarquia é estabelecida no grupo, esses conflitos cessam.


Por fim, os ferrets possuem glândulas anais bem desenvolvidas e sua secreção tem o objetivo de demarcação de território e afugentamento de animais indesejáveis (liberação em situação de stress), entretanto, por essa secreção possuir um odor desagradável, essas glândulas são retiradas. Contudo, vale lembrar que o odor almiscarado (e muitas vezes também desagradável) característico desses animais é devido à secreção das glândulas sebáceas, que se encontram na pele do animal e são dependentes de hormônios sexuais.


Dessa maneira, é importante que, antes de adquirirmos um novo pet, pesquisemos sobre a sua fisiologia, comportamento e hábitos, para proporcionarmos o melhor manejo a ele, considerando os aspectos de saúde e bem-estar. Venha conhecer nossos serviços para animais silvestres!


Escrito por: Litssa Galvão

Entre em contato conosco:

vetjr.silvestres@gmail.com

Celular VetJr.: 31 9 8292-7161


11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo